danielbiologo2

Just another WordPress.com site

Archive for janeiro 2015

Art 220…..vou ter que postar 220 vezes!

leave a comment »

Art.: 220
Deixar de reduzir a velocidade do veículo de forma compatível com a segurança de trânsito
XIII- ao ultrapassar ciclista
Infração: gravíssima
Penalidade: multa

Art.: 201
Deixar de guardar a distância lateral de um metro e cinqüenta centímetros ao passar ou ultrapassar bicicletas.
Infração: média
Penalidade: multa

Hoje vindo ao trabalho, transitando pelas ruas, mais uma vez “senti na pele” talvez o maior problema para quem quer caminhar ou pedalar pela cidade, a falta de respeito por uma parcela de MALtoristas e as elevadas velocidades autorizadas de motorizados transitarem pela cidade.

Motoqueiros andam como se só eles existissem, costuram andam entre os carros pela esquerda pela direita sempre em velocidades assassinas (não são todos, é claro).
Carros ultrapassam o ciclista como se não houvesse outro veículo a sua frente (, desrespeitam o CTB, o bom senso e a vida de todos.

E a quantidade de motorizados sobre passeios, ciclofaixas?

Na pouca infra estrutura existente, temos o desrespeito de muitos MAltoristas, que como disse estacionam sobre as ciclovias, motoqueiros transitam nela para “fugir” dos congestionamentos.

RESPEITO e BAIXAS VELOCIDADES
são fundamentais, imprescindíveis
para a MOBILIDADE URBANA.

Anúncios

Written by danielbiologo2

janeiro 29, 2015 at 5:31 pm

Publicado em Pedalando por aí...

Conforto Térmico

leave a comment »

Conforto Térmico

27 de janeiro de 2015

O Conforto Térmico, para quem transita em Bicicleta, se resume basicamente a sombra e ventos que alcançam o ciclista em seu caminho. Percebo a falta que as árvores fazem em nossas pedaladas pela Grande Florianópolis.

Neste sentido é que como biólogo e ciclista, recomendaria o plantio de árvores ao logo de nossos passeio e ciclovias, e não somente uma ou outra palmeira como ocorre com a Av.Beira Mar Norte!

trompowskyCiclofaixa na Av. Trompowsky com árvores sombreando e conferindo conforto térmico emtre outros.
Percebe-se a enorme diferença de temperatura ao sair das ruas “desmatadas” e entrar nas arborizadas, o calor infernal da ciclovia da Av, Beira Mar Norte pelada de árvores, e o frescor da sombra nesta rua.
Foto feita em 27/01/2015

Neste sentido é que temos certeza que o plantio de árvores adequadas a cada local, favoreceriam o transporte ativo, seja caminhando ou  pedalando e logicamente e a Qualidade de Vida de toda a cidade.

Replico abaixo um pequeno texto falando das árvores Urbanas;

ÁRVORES URBANAS

Hora ou outra são lançadas campanhas que incentivam o plantio de árvores em áreas urbanas, as quais, na maioria das vezes, são promovidas por organizações não governamentais. Esta prática ainda é realizada, em menor frequência, mas com alta divulgação, por setores governamentais e pela iniciativa privada, quando o maior objetivo é o marketing.

O importante aqui é entender que o plantio de árvores nas cidades tem aumentado e, consequentemente, tem contribuído com o crescimento e manutenção das florestas, dos parques e dos bosques urbanos. Entretanto, muitos de nós, moradores dos centros urbanos, temos uma visão bastante pontual sobre a função das árvores, ou seja, nossa compreensão muitas vezes fica limitada às funções de sombreamento e paisagismo.

Nesse sentido, é importante destacar que os benefícios das árvores no meio urbano vão muito além da produção de sombra e da beleza paisagística. A presença de árvores nas cidades traz diversas outras vantagens à população humana, entre as quais podem ser destacadas:

– Infiltração de água no solo: as árvores facilitam a infiltração e a condução da água no solo, pois mantém os solos menos compactados e contribuem, portanto, para a redução do escoamento superficial e da ocorrência de enchentes;

– Redução da sensação térmica: além da sombra, a absorção da radiação solar e a transpiração de vapor de água das árvores contribuem diretamente para a redução da sensação térmica, tanto ao redor das árvores quanto na área de projeção da copa;

– Atenuação da poluição sonora: as árvores atuam como barreiras contra pequenos ruídos. Essa atenuação torna-se mais eficiente em locais com árvores adensadas, como em bosques e florestas urbanas;

– Quebra vento: a presença de árvores tem efeitos diretos sobre o regime dos ventos, pois funciona como uma eficiente barreira capaz de diminuir a velocidade e a direção dos ventos. Isso pode evitar que ventanias causem prejuízos às casas e às outras construções feitas pelo homem, como a destruição de telhados;

– Liberação de oxigênio e absorção de poluentes: além da liberação de oxigênio, que ocorre durante o dia, vários poluentes em suspensão são absorvidos pelas árvores. O principal poluente é o carbono, o qual as plantas tendem a absorver e estocar em maiores quantidade na fase inicial de desenvolvimento;

– Microhábitats para a fauna: além de servir como abrigo e local de reprodução, principalmente de aves, insetos e morcegos, as árvores são fontes de produção de alimentos para fauna e, dependendo da espécie vegetal considerada, os frutos produzidos são próprios para o consumo humano;

Tomados em conjunto, os benefícios advindos da plantação e da manutenção de árvores urbanas indicam que podemos e devemos plantar mais árvores no meio urbano. Contudo, deve-se buscar sempre orientação de quais espécies são mais adequadas para o plantio em determinado local, de modo a evitarmos a disseminação de espécies exóticas, principalmente aquelas que potencialmente podem se tornar invasoras e de escolhermos espécies cujo crescimento e tamanho sejam compatíveis com a área escolhida para o plantio. Uma boa recomendação, antes de decidirmos plantar uma árvore, é consultar um profissional qualificado para tal fim.

Retirado de ENVOLVERDE

Written by danielbiologo2

janeiro 27, 2015 at 6:02 pm