danielbiologo2

Just another WordPress.com site

Archive for abril 2015

Bicicleta cor de uva.

leave a comment »

2014-11-24 15.24.00Foi numa quinta feira, que subi o morro com ela, minha Bicicletinha azul.

Um dia de sol, temperatura agradável do fim de outono, um convite a curtir a Natureza, enfim lá estava eu, pedalando e caminhando.

      Minha Bicicleta fixa, com pneus finos, relação pesada, não permitem a escalada íngreme deste morro, mas no transporte ativo em Bicicleta empurrar faz parte, não é nenhum tipo de constrangimento.
Subindo e olhando a flora ao redor, borboletas azuis, outras pintadas, o vento passando e a frase veio naturalmente;
Borboletas são Flores que o vento tirou para dançar”.

      A chegada é sempre agradável, ainda mais por estarmos mais perto do céu e do Astro Rei, tudo bem que é apenas uma bela impressão, mas é muito boa.

      Sentei na rocha olhei o horizonte, fiquei de pé senti o sol, pulei e senti o vento.
Meu coração estava palpitante, fazia muito tempo que não sentia felicidade desta maneira.

fotobicicletinhamakingoff      Minha Bicicletinha azul começa a se posicionar, fotos e olhares, risadas e vontade de abraçar tudo naquele momento. A Bicicletinha na rocha,
as folhas da palmeira ao lado com o Sol sendo filtrado, e nas sombras eu vi uma cor de “berinjela”?
Uma rajada de vento e um arrepio, não, é cor de uva!

      O vôo do olhar levou minha Bicicletinha para o mar, para a lagoa, para o manguezal, para a mata…

      Vontade de fazer tantas coisas, não fiz, ainda bem que arrependimento não mata, segundo o dito popular!

      Ifixavoçorocasniciei a descida, tentei fazer montado na minha fixa, não deu, o chão com pedriscos e voçorocas não permitiram uma descida segura.

 Continua…

Written by danielbiologo2

abril 30, 2015 at 5:21 pm

Trekking de domingo

with 4 comments

Um domingo de Sol.


IMG_2971

No face do Floripa Trekking, muitas mensagens e comentários, cheguei cedo, éramos dois neste momento o Chico e Eu.
Imaginava umas trinta, quarenta pessoas…em minutos estávamos em centenas, estimei uns 300!
Após as palavras iniciais do Sinval, iniciamos a caminhada.

O Ícaro contou 312, e como eu vinha fechando a fila neste momento, fui o 312.

A fila ficou comprida, no início muitas paradas e que não mudou muito durante o trajeto, principalmente pelas paradas para fazer fotos, mas a galera brincava, ” empurrava”, apitava e assim a fila andava.

Na praia poucos entraram, eu entrei, afinal uma banho de mar revigora e refresca.

No retorno alguns ficaram no bar na beira da lagoa, para comer algo e tomar uns sucos, umas cervejas e depois aquele cafezinho, bem eu tomei…hehehehe

Levei minha máquina de fotos, fiz poucas pois fiquei mais ” preocupado” com a turma e com a trilha. Minhas fotos aqui neste link;

Trilha do Gravatá

PS. Realmente tivemos muitas pessoas, eu percebi a preocupação da organização com a “conservação” da trilha, mas claro 312 pessoas é um número grande.
O que eu percebi durante e após?
Todos caminharam apenas pela trilha, não ficou lixo pelo caminho e claro 312 pessoas numa trilha um impacto existe. Mas nesta trilha “escancarada” usada frequentemente, sem nenhum tipo de controle? Bem o que quero dizer e não justificar, mas esta trilha é extremamente utilizada inclusive em certos trechos motocicletas tem transitado, Ou seja o dito impacto que muitos reclamaram existe mas neste caso, pelos trilheiros deste domingo é incipiente com relação ao impacto de todos os dias, como disse esta trilha é aberta é utilizada por muitas pessoas diariamente, e muitos não cuidam mesmo, e deste uso intensivo que realmente impacta, alguém está preocupado?

Os eventos estão crescendo em número de participantes, neste final de semana tivemos alguns eventos o AUDAX 200Km em Bicicletass e dois por “caminhantes e trilheiros”. O Caminhantes do Sol, com mais de 200 pessoas e o Floripa Trekking com mais de 300.

Bem qual o desafio?
É que estes eventos continuem a ocorrer, em equilíbrio com o Meio Ambiente, o desafio então é conjugar a sustentabilidade na prática.

“No Brasil a Capacidade de Carga significa para o Planejamento do turismo a tentativa de estudar o perfil do destino na tentativa de identificar qual o número de visitantes que a localidade comporta sem depreciar o seu patrimônio,ou seja, “Capacidade de Carga é a população máxima de determinadas espécies que uma área pode suportar sem reduzir sua capacidade de suportar essas espécies no futuro”.

A capacidade de carga é um instrumento de manejo aplicado em estratégias de controle de fluxos turísticos em áreas naturais e, segundo Cifuentes (1992), é resultado de uma apropriação do conceito utilizado na gestão de pastagens, para determinar o número de animais que podem ser mantidos em determinada área de pasto. No turismo, sua adoção consiste no cálculo de um número máximo de visitas/dia que uma determinada área natural pode suportar

As principais críticas a esse instrumento referem-se ao fato de que estabelecer número de visitantes para áreas naturais tem sido muito mais um conceito intuitivo do que científico e que a magnitude do impacto não é necessariamente condicionada pelo número de pessoas. Na verdade, a prática de limitar o número de visitantes é, muitas vezes, uma solução imprópria e simplista.” 

Written by danielbiologo2

abril 27, 2015 at 3:30 pm