danielbiologo2

Just another WordPress.com site

Archive for setembro 2012

Por que é importante os pais participarem da vida escolar dos seus filhos?

leave a comment »

30 de setembro de 2012 A EDUCAÇÃO PRECISA DE RESPOSTAS

Por que é importante os pais participarem da vida escolar dos seus filhos?

Os estudos mostram que o acesso à educação infantil tem importantes consequências para a vida adulta, como mais renda, menos gravidez precoce e menor envolvimento em crimes. Hoje se sabe que a escola infantil não é apenas um lugar onde se deixam os filhos enquanto se vai ao trabalho, mas um espaço educador decisivo – com o qual o pai deve estar muito envolvido para que a criança tire o máximo proveito dele.

A qualidade da escola brasileira em casa. Quando os pais participam da vida escolar, as crianças se alfabetizam com facilidade, obtêm notas melhores e alcançam renda superior na idade adulta. Mas no Brasil essa participação ainda precisa evoluir. Uma pesquisa do Ibope aponta que apenas 7% da população acredita que a educação é também uma responsabilidade dos pais. Em uma decisão prejudicial às crianças, milhões de pais preferem terceirizar a educação e colocar toda a responsabilidade sobre os ombros da escola. Tema da terceira pergunta da campanha do Grupo RBS e da Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho, A Educação Precisa de Respostas, o papel da família na vida escolar é esmiuçado com orientações sobre como pais e mães devem agir em diferentes momentos e situações. Esta cartilha foi baseada em grande parte em materiais do projeto Educar para Crescer (educarparacrescer.com.br), que tem entre suas bandeiras a aproximação dos pais do processo de educação.

Facilite a adaptação da criança

– Mostre entusiasmo e segurança ao deixar seu filho na escola. Ressalte que ele irá encontrar outras crianças com as quais poderá brincar.

– Explique, com tranquilidade, que ele irá passar o dia na escola e diga quem irá buscá-lo no fim do período.

Estimule o aprendizado

– Entenda como a escola estimula seu filho e o que esperar em cada fase de seu desenvolvimento. Acompanhe cada etapa de perto.

– Reconheça e valorize cada conquista de autonomia de seu filho. Nunca o reprima ou castigue em caso de falha ou regressão.

– Respeite o ritmo de seu filho. Não o compare com irmãos ou amigos.

Seja parceiro da escola

– Esteja presente e participe das reuniões de pais.

– Vá às atividades extraclasse, como palestras.

Eduque dentro de casa

– Crie uma rotina também em casa. Mantenha um horário regular para seu filho se alimentar, tomar banho e ir para a cama.

– Leia histórias, capriche na interpretação.

Acompanhe o dia a dia

– Leia a agenda de seu filho diariamente.

– Converse sobre o dia dele, sem enchê-lo de perguntas. Deixe que ele conte o que quiser e siga com a conversa a partir das situações reveladas.

 

Anúncios

Written by danielbiologo2

setembro 30, 2012 at 10:37 am

Publicado em Textos recebidos

Problemas urbanos!

leave a comment »

Muitos problemas urbanos são decorrentes de um comportamento “individualista egoísta” de uma parcela de nosa Sociedade. Além disso ainda temos a IMPUNIDADE, que “estimula” e não educa!

ACORDA SOCIEDADE!!!

Sem cobertura

O leitor Daniel de Araújo mostra o ponto de ônibus na SC-406, no Porto da Lagoa, em Florianópolis. Segundo ele, há mais de um ano a cobertura está com um buraco e há algumas semanas o vidro foi quebrado. Uma passageira chegou a cortar o pé. “Os pontos de ônibus inteiros são extremamente desconfortáveis, no sol se transformam em estufa, não protegem da chuva e, esperar por muito tempo se torna um suplício. Como estimular o uso do transporte público assim?”. A Secretaria de Transportes, Mobilidade e Terminais disse que esse ponto será consertado em no máximo 10 dias. Vamos acompanhar!

Written by danielbiologo2

setembro 20, 2012 at 10:17 am

Publicado em Publicado por aí...

Soluções desatam nós da mobilidade….

leave a comment »

Resposta sobre a matéria publicada em 17 de setembro,
pode ser lida abaixo;

17 de setembro de 2012 |

TRÂNSITO 24H

Hora de pensar e ajudar a mudar

A Semana Nacional do Trânsito começa amanhã, e neste ano, o foco das ações de conscientização está no excesso de velocidade, um dos principais motivadores de acidentes. Mas além de tentar reduzir a violência no trânsito, os próximos dias também devem servir de reflexão para todos que fazem parte do trânsito. O que cada um de nós pode fazer para melhorar a mobilidade? Mostramos nesta reportagem algumas iniciativas em Santa Catarina que podem servir de exemplo.

O trânsito faz parte do dia a dia das pessoas e é foco de críticas e cobranças. Mas o que muitas vezes não se percebe é que o comportamento de cada um ajuda a tornar as ruas violentas e sem mobilidade. Para conscientizar a sociedade, acontece de amanhã até o dia 25, a Semana Nacional do Trânsito, promovida pelo Conselho Nacional de Trânsito. As ações querem alertar para o perigo do excesso de velocidade, uma das principais causas de acidentes. O foco são jovens entre 18 e 25 anos. Em SC, a violência nas estradas estaduais já levou 295 pessoas à morte este ano.

Se os acidentes com mortes são o lado mais cruel do trânsito, é no dia a dia que percebemos outro problema crônico: a falta de mobilidade. Em Florianópolis, quem acessa a Ilha todas as manhãs sabe o que é isso. É difícil disputar espaço entre os 180 mil carros que passam por dia na BR-282. No final de tarde, o sufoco se repete no sentido contrário. No Sul da Ilha, motoristas saem cada vez mais cedo de casa para evitar transtornos em direção ao Centro. Nem a inauguração, em dezembro, da faixa reversível da SC-405 os problemas foram resolvidos.

No Norte da Ilha, o principal ponto de congestionamento é na SC-403, saída do Bairro Ingleses e, também, na ligação do Rio Vermelho. Com o término da duplicação da SC-401, o trânsito melhorou, mas aumentou o número de motoristas que excedem o limite de velocidade e provocam acidentes. Sem falar do que turistas e moradores enfrentam no trânsito da Lagoa da Conceição no verão.

Blumenau também já mostra reflexos dos 218 mil carros. A cidade, com muitos morros, cortada pelo Rio Itajaí-Açu, já não consegue ampliar a estrutura viária. Ainda na região do Vale, é a BR-470, segunda mais movimentada do Estado, que traz preocupações. Apesar de ter boa estrutura e sinalização, a rodovia é uma das mais perigosas.

Já o trecho Sul da BR-101 é o principal gargalo. No feriado de 7 de Setembro, motoristas ficaram quatro horas na fila em Laguna, que ainda não teve a duplicação concluída.

Nesta Semana Nacional do Trânsito, vamos aproveitar para discutir problemas e mostrar que quando a consciência acompanha a evolução das cidades, dos carros, dos tempos, é possível, sim, criar alternativas. Confira na página ao lado histórias de pessoas que decidiram ir em busca de soluções para melhorar a mobilidade.

Anjos de rodas

Se você quer começar a pedalar, mas tem medo de fazer isso no meio da cidade, saiba que pode contar com uma ajuda especial. Os Bike Anjos são ciclistas experientes e voluntários que ajudam pessoas que querem aprender a andar de bicicleta na cidade correndo menos riscos. Eles saem para pedalar com você, dando dicas e ensinando boas rotas por Florianópolis. E tudo de graça. Os anjos estão nas redes sociais: www.facebook.com/BikeAnjoFloripa. Em SC, estão também em Itajaí.

Preferência

O engenheiro eletricista Vinicius Rolim alterna: usa ônibus e carro. Quando opta pelo transporte coleitvo, chega mais cedo em casa, já que o veículo tem via exclusiva na saída do túnel até o terminal do Centro, em Florianópolis. Vinicius lembra que é importante dar preferência aos ônibus.

– Tento ceder a vez, sobretudo nos casos de afunilamento. Temos que respeitar, pois sua capacidade de transporte é maior. Precisamos deixar de ser egoístas no trânsito.

Estacionamento

A segunda infração mais cometida pelos motoristas de SC é o estacionamento irregular: perde apenas para o excesso de velocidade. O Trânsito 24h recebe, todos os dias, flagrantes de diversas cidades do Estado de motoristas que não respeitam a sinalização e acabam usando a falta de educação para estacionar.

Publicado no DC online, Aqui

Written by danielbiologo2

setembro 18, 2012 at 3:55 pm

Como frear a escalada de mortes de ciclistas no trânsito de SC?

leave a comment »


  • Sem dúvida, freando as atuais velocidades permitidas aos motorizados de transitar nas ruas. Respeitando o Código de Trânsito Brasileiro, evitaríamos 94% dos chamados “acidentes”. Construção de ciclovias e ciclofaixas onde há condições e nas demais vias o compartilhamento das ruas, com bom senso e inteligência, é a solução. Andar de bicicleta ou caminhar na cidade não é perigoso, perigoso é como se permite conduzir automotores em nossas ruas. Cidades com maior número de bicicletas nas ruas apresentam trânsito mais humanizado e uma melhor qualidade de vida. É fato.
    Daniel de A. Costa/Florianópolis

  • Embora polêmico, o assunto é fácil de resolver. Basta conscientizar motoristas e ciclistas com campanhas objetivas, criar ciclovias e não ciclofaixas. Mas tudo isso demanda empenho dos órgãos competentes e – por que não? – de nós, cidadãos, no intuito de fiscalizar e cobrar o bom funcionamento das vias. Mas, infelizmente, enquanto isso não ocorre, vamos continuar tendo mortes desnecessárias, até que fatalmente algum ente da esfera maior venha a falecer.
    Aqui em Joinville os órgãos de desenvolvimento urbano dizem que há 70 quilômetros de ciclovias (ciclofaixas). Até pode ser verdade, pena que somente 5% estão em condições de uso. Isso devido à má conservação. Triste, mas é realidade.
    Rogerio Maes/Joinville
  • Primeiramente, investindo na construção de ciclovias. Em segundo lugar, educando ciclistas e condutores de veículos automotores para deixar bem claro quais são seus direitos e deveres no trânsito. Por último, punir quem desrespeitar a lei de trânsito.
    Jader Freitas/Tubarão
     
  • Somente mudando nossas leis ultrapassadas poderemos mudar alguma coisa com relação a este assunto. Vamos torcer para nascer alguém que mude nosso Código Penal – com leis de verdade que punam os infratores e não as pessoas de bem.
    Fernando Cabral/Brusque
     
  • Fácil. Basta os candidatos a prefeito pararem de se preocupar com alianças políticas e pensar no cidadão. Existem cidades-exemplo em ações para o ciclista. Se tivermos metade da estrutura que existe em Londres aos ciclistas, a porcentagem de acidentes seria reduzida em 60% de cara. Os 40% restantes dependeriam da educação e respeito de todos no trânsito.
    Mario B. de Souza Junior/
    São José
  • Para que um Estado ou um país seja respeitado, tem de haver respeito e educação entre a população, começando pelo espaço entre motoristas e ciclistas, exigindo das autoridades mais empenho em construção de ciclovias nas cidades, criar leis mais rígidas para motoristas que não cumprem as leis de trânsito, como aqueles que dirigem alcoolizados ou em alta velocidade. Só assim conseguiremos diminuir os acidentes, muitas vezes com vítimas fatais.
    Luiz Cesar Espindola/
    Criciúma
  • Reeducação no trânsito, punição aos imprudentes e revisão do Código Penal são muito importantes, mas isso só vai funcionar a longo prazo. Acho que de momento poderiam construir ciclovias com divisão entre a pista e os demais veículos, como ocorre na Beira-Mar Norte, em Florianópolis. Exige maior espaço e maior investimento, mas como gastam tanto com futilidades, podem gastar com algo que vai proteger a população e possibilitar aumentar o tráfego de bicicletas, diminuindo o de carros.
    Diego Cezar Mendes/Florianópolis
     
  • Em primeiro, muitas ciclovias; em segundo, bons equipamentos de segurança; terceiro, educação; em quarto, atenção, deixando de levar o celular no bolso, isto para o ciclista; e o respeito por parte dos motoristas, reconhecendo o direito de ir e vir do ciclista.
    Vicente Gabriele Pascale/
    Florianópolis

Written by danielbiologo2

setembro 15, 2012 at 1:15 pm

Publicado em Publicado por aí...

Fenômeno Facebook de conectados

leave a comment »

11 de setembro de 2012 | Artigo do Diário Catarinense.

COMPORTAMENTO

Fenômeno Facebook de conectados

A rede social que começou em um quarto de Harvard e que, até 2006, reunia apenas estudantes nos EUA, está próxima de ser o primeiro produto comunicativo a juntar quase 15% da população mundial – feito que não tem garantido o mesmo sucesso comercial da empresa de Mark Zuckerberg

A façanha de curtidores está perto da casa do bilhão. Esta é a projeção sobre a quantidade de usuários que o Facebook deverá alcançar em breve. Os últimos dados divulgados pela empresa de Mark Zuckerberg, em junho, apontam que o site ultrapassou a marca de 955 milhões de usuários.

Ao chegar a 1 bilhão de usuários, o que especialistas acreditam que irá acontecer ainda este ano ou no máximo nos primeiros meses de 2013, o Facebook teria quase 15% dos humanos do planeta interligados em sua rede. Um fato inédito para um produto de mídia.

– É fantástico reunir quase 15% da população mundial. Imagina ter o perfil dessas pessoas, que estão sempre atualizando os seus interesses e que têm poder aquisitivo, acesso à internet e tomam decisões. É uma máquina de audiência muito grande – ilustra Radamés Martini, diretor da SocialBase, que trabalha com rede social para empresas.

O negócio iniciado há oito anos em um quarto de Harvard começou a se espalhar para fora do ambiente universitário e escolar em 2006. Em maio daquele ano, o site começou a abarcar trabalhadores de empresas e, em setembro, qualquer pessoa que quisesse se juntar à rede. As escolhas feitas em 2006 foram decisivas para o site, que tinha 6 milhões de usuários no final de 2005 e que fechou o ano seguinte com o dobro, 12 milhões de pessoas conectadas.

De lá para cá, o Facebook rompeu fronteiras de idiomas, países e de acessibilidade à internet. Atualmente, segundo o site SocialBakers, a rede de Zuckerberg é acessada por usuários de 213 países.

Para especialistas do mercado, um dos grandes acertos de Zuckerberg foi manter a API (interface de programação de aplicativos) do site aberta para programadores independentes. Desta forma, o Facebook foi uma das primeiras redes a permitir a criação de aplicativos utilizando o seu código, permitindo a renovação constante do site.

Brasil é o segundo país em acessos

Na avaliação de Rodrigo Arrigoni, sócio-fundador da R18, empresa de marketing e redes sociais, o Facebook está perto do 1 bilhão, apesar de certa estabilização recente no crescimento da rede. O Brasil apresenta tendência de crescimento no número de usuários. De acordo com o site SocialBakers, nos últimos três meses o número de usuários nos EUA cresceu 4,35%, enquanto o Brasil teve um ganho de 18%.

– O brasileiro se destaca em grupos, tem um perfil exato e registra a maior média de amigos, de até três vezes mais do que a média do resto do mundo – enumera Arrigoni.

Mesmo crescendo mais, o Brasil ainda está longe de alcançar os EUA no número total de usuários. O país de Zuckerberg registra pouco mais de 163,6 milhões de usuários (ou 52,75% da população), enquanto o Brasil tem 56,6 milhões de pessoas conectadas (28,15% da população).

Há dúvidas, entre os especialistas, sobre o que representará a marca histórica do Facebook. De qualquer forma, em fanpages, posts de empresas, games, mobile e APIs, o Facebook continua batendo recordes.

DIOGO VARGAS

Written by danielbiologo2

setembro 11, 2012 at 10:31 am

Mobilidade x burocracia?

leave a comment »

Se fosse para fazer um viaduto, um elevado, um túnel ou uma ponte, “rapidinho” a burocracia é resolvida. Depois de construir estas obras que só estimulam o aumento do transporte individual motorizado, ou seja, aumentam os congestionamentos, queremos reclamar da falta de mobilidade.

Congestionamento não é um problema, é apenas uma relação causa x efeito.

Agora quando podemos dar a chance para uma demanda reprimida de 70% das pessoas em SC, que gostariam de usar a Bicicleta em seus deslocamentos urbanos, implantando algumas ciclovias, ciclofaixas e dar segurança aos ciclistas, a burocracia se faz presente da pior forma, “não anda”, mesmo com pessoas morrendo em decorrência disso tudo.

Lembrando que mobilidade urbana é o cidadão ter a opção de escolher um modal de transporte nesta ordem (priorizando);

1-pedestre 2-bicicletas 3-transporte coletivo 4-transporte individual motorizado

Written by danielbiologo2

setembro 10, 2012 at 2:24 pm

Publicado em Pedalando por aí...

RELATO DE UMA CICLISTA

leave a comment »

10 de setembro de 2012

RELATO DE UMA CICLISTA

Pedalada segura, mas fora daqui

Impactada com o pedido de respeito que os ciclistas de Santa Catarina têm emitido, refletido em reportagem especial do Diário Catarinense deste domingo, a leitora e ciclista Patrícia Barcellos enviou um relato interessante ao jornal. Ela e seu marido, Maury Alexandre Vieira dos Santos, acabam de percorrer, de bicicleta, 1.560 quilômetros, de Florianópolis até o Rio de Janeiro. A descrição proporcionada por Patrícia, tecnóloga em hotelaria, pode servir ao mesmo tempo de estímulo a outros, mas especialmente de alerta, pois ela se mostra desanimada “com a falta de estrutura que dê suporte ao esporte e ao lazer” via bicicletas no país.

Para o DC, o relato cumpre também o objetivo de abrir mais espaço aos leitores, em especial quando eles trazem não apenas percepções, mas principalmente informações quer podem servir aos nossos públicos.

Confira, abaixo, o relato, além de fotos

Written by danielbiologo2

setembro 10, 2012 at 11:12 am